Recordando o primeiro título de Ayrton Senna na Fórmula 1

Postado por dia em Divertidos
  • 0
  • 289 visualizações

Detalhes

Em 2018 estão passando 30 anos sobre o primeiro título de campeão mundial de Fórmula 1 conquistado por Ayrton Senna. Não queremos aqui trazer a “guerra civil” que ainda é possível encontrar em nosso país entre “piquetistas” e “sennistas”, e por isso queremos lembrar que esse foi nosso período no grande esporte mundial das corridas: já reparou que nos 5 campeonatos que acontecerem entre 1987 e 1991, apenas um deles não foi vencido por um brasileiro? Isso se somarmos o tri de Piquet (1987) aos três títulos do malogrado paulista.

Hoje queremos apenas recordar alguns dos grandes momentos dessa época esportiva. O feito de Senna foi ainda melhor porque conseguiu bater, na mesma equipe, um dos melhores pilotos de sempre: Alain Prost.

Prost, um dos melhores de sempre? Sim

Prost - Fórmula 1

É mais que tempo de fazer justiça ao tetracampeão francês. Em seus 13 anos de competição, Prost enfrentou, como colegas de equipe, pilotos como Lauda, Keke Rosberg, Senna, Mansell e Hill (todos eles campeões mundiais). Só Senna conseguiu batê-lo. Os níveis de eficiência e rapidez de Prost foram dos melhores de sempre.

Hoje em dia a Fórmula 1 vai entrar nas apostas esportivas, acompanhando as tendências de crescimento das apostas pela internet. Em breve talvez seja possível, acessando o apostasbrazil.com.br, apostar em Fórmula 1. Em 1988 isso era mais difícil, mas quem tivesse apostado talvez não jogasse contra Prost. Ele era bicampeão e mostrava-se o piloto mais forte e consistente da década.

Bater Prost na mesma equipe foi um dos maiores feitos da carreira de Ayrton Senna. Veja três momentos marcantes desse ano.

Mônaco: a pole e a distração

Muitos dizem que terá sido a melhor volta de qualificação de sempre, e todos lamentam que não exista um registro de imagem televisiva. Senna bateu Prost por 1,5 segundo e disse, mais tarde, que pilotava em um estado de consciência alterada, como dentro de um túnel. No dia seguinte, quando liderava Prost por 50 segundos e faltavam 10 voltas para o fim, distraiu-se, bateu no muro e desistiu.

Falaria mais tarde que esse pequeno acidente lhe deixou uma marca profunda, enquanto piloto.

Portugal: o início da rivalidade

GP de Portual com Senna

No GP de Portugal, Senna partiu na frente mas corria com um problema mecânico (pouca pressão de gasolina), e logo na segunda volta Prost foi para cima dele. Senna fechou a trajetória, o que é permitido pelas regras, mas o francês já vinha a seu lado e acabou empurrado contra a parede. Se você vir o vídeo da manobra, perceberá tudo.

Se você faz parte daqueles que consideram que Senna foi um piloto perigoso que forçou demasiado a barra, esse momento pode ser considerado um argumento favorável para você. Mas o certo é que ambos os pilotos seguiram sem problema.

Japão: a vitória final

Na penúltima prova, precisando uma vitória para ser campeão, Senna largou mal e caiu para o 14º lugar. Em poucas voltas voltou à segunda posição, e – um pouco ajudado pela garoa – foi tão mais rápido que acabou por conseguir alcançá-lo e ultrapassá-lo. Até hoje, essa é considerada uma das melhores performances de sempre, até pelo simbolismo da conquista do título ao cruzar a meta.

Você também vai gostar:

Deixe um comentário